Share

Departamento de Defesa do Consumidor Lista as Dez Principais Reclamações dos Consumidores

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Por Claudette Carveth

Traduzido por Frederico Alberti

O Departamento de Defesa do Consumidor emitiu sua lista anual com as dez principais reclamações dos consumidores no ano passado, como parte da Semana de Defesa do Consumidor. De acordo com a análise de mais de 5.500 reclamações escritas recebidas em 2014, as queixas relacionadas com telecomunicações lideravam o grupo pela primeira vez.

“Evitar problemas no mercado é um desafio para todos os consumidores hoje em dia, mas é bom lembrar que ajuda e informações estão disponíveis no Departamento de Defesa do Consumidor”, disse o comissário Jonathan A. Harris. “Entre todas as empresas legítimas e justas que fazem negócios aqui, há sempre um grupo ruim, que quer tirar proveito do consumidor. Nós lidamos com eles. E há empresas honestas que passam por um momento difícil, que precisam de um pouco de tempo e de supervisão, a fim de corrigir completamente uma situação problemática – nós trabalhamos por elas também. Durante a Semana de Defesa do Consumidor e durante todo o ano, o melhor conselho é tirar um tempo para se informar, e incentivar outros a fazerem o mesmo. ”

As dez categorias abaixo foram responsáveis ​​por 54% das reclamações por escrito em 2014.

  1. Telecomunicações e afins (26,8%). Esta categoria representou mais de 1.400 queixas de consumidores sobre problemas de cobranças e serviços, seguidos de migração entre os prestadores de U-verse, telefone fixo e banda larga no outono passado. O Departamento de Defesa do Consumidor possui um telefone exclusivo e uma equipe de assistência ao consumidor para fazer a triagem das queixas e acelerar o seu processamento pelo novo provedor.
  2. Telemarketing (8,2%) subiu do terceiro para o segundo lugar, após vários anos. Esta categoria inclui frequentemente queixas sobre entidades ainda não cobertas pela lei Do Not Call, como instituições de caridade. Certamente, ela também inclui reclamações sobre as empresas que optam por ignorar a lei Do Not Call. Sempre que um número pode ser atribuído a uma empresa de Connecticut, o Departamento exige o cumprimento da lei. No entanto, os números não rastreáveis, fora do estado e do país são fornecidos à Federal Trade Commission para execução.
  3. Compra e reforma de casas (6,5%) – Reclamações sobre empresas de construção e reforma sempre lideraram as queixas ao Departamento, até cair para o segundo lugar em 2013. Estas queixas envolvem questões como obra inacabada , contratos incorretos, danos à propriedade, materiais de má qualidade, ou não devolução do depósito. Escolher um empreiteiro devidamente registrado no Departamento de Defesa do Consumidor é um bom primeiro passo para evitar reclamações posteriores, assim como buscar referências. Também é necessário um detalhado contrato escrito, datado e assinado, que inclui data de início e de término, e todos os aspectos do trabalho a ser feito, incluindo a qualidade dos materiais a serem utilizados. No contrato deve constar também que você tem três dias úteis para rescindi-lo.
  4. Motor a gasolina (3,4%) – “Pulos” no valor na bomba de gasolina, sinais pouco claros e relatos de “gasolinas adulteradas” estão no topo das queixas relacionadas com o combustível dos consumidores no ano passado. Todas foram investigadas e corrigidas pelo Departamento.
  5. Varejo (2%) – As denúncias envolvem lojas de tijolos e argamassas e geralmente incluem problemas com devoluções, trocas, depósitos perdidos, garantias, descontos, publicidade ou serviço.
  6. Vendas pela Internet (2%) – Problemas nesta categoria incluem não-entrega de itens ou cobranças abusivas, empresas que se envolvem em faturamento duplicado, cobranças indevidas, débitos automáticos e empresas que não cancelam envios não-solicitados de produtos ou publicidade após o cancelamento dos consumidores.
  7. Revenda de automóveis (1,8%) – Problemas incluem não-entrega dos veículos, excesso de encargos, garantias, descontos, publicidade ou táticas agressivas de vendas.
  8. Fornecedor de energia elétrica (1%) – O Departamento também investiga as queixas relacionadas com as ocupações que ela regula. Nesta categoria, as queixas são sobre o trabalho realizado por eletricistas e outros profissionais elétricos.
  9. Aquecimento e refrigeração (1%) – O DCP investiga as queixas relacionadas com as ocupações que ela regula. Nesta categoria, as queixas são sobre o trabalho realizado por profissionais de aquecimento e refrigeração.
  10. Correios (1%) – Problemas nessa categoria incluem não-entrega de itens ou cobranças abusivas, pedidos incompletos, mercadoria errada e não reembolsos de itens devolvidos.

Os 46% restantes das queixas vão desde sistemas de alarme a agências de modelos e produtos de controle de peso.

“O Departamento de Defesa do Consumidor trabalha todos os dias com todos os tipos de empresas e problemas de consumo, com o objetivo de manter o mercado justo e seguro para todos”, disse Harris. “Estou orgulhoso do trabalho de nossa equipe do Centro de Reclamações, e os nossos agentes que dedicam seus dias à resolução de problemas e a alcançar a equidade para os consumidores de Connecticut.”

O DCP pode, em alguns casos, fornecer aos consumidores ajuda em forma de restituição por meio de um de seus fundos de garantia. Em 2014, o Departamento pagou mais de US $ 1,9 milhão em restituição aos consumidores de seus fundos de saúde e compra, construção e reforma de casas.

“Os consumidores devem nos procurar quando têm um problema com uma empresa e não podem resolver diretamente “, disse Harris. “Registrar uma queixa por escrito não apenas resulta em ajuda para o consumidor, como também nos alerta para um problema ou ilegalidade que precisa de correção antes de afetar outras pessoas”.

O site do Departamento de Defesa do Consumidor é o SmartConsumer.ct.gov e ct.gov/dcp. Reclamações por escrito podem ser enviadas para dcp.frauds@ct.gov. O telefone gratutito para assistência ao consumidor é o 1 (800) 842-2649.

Este artigo foi escrito por Claudette Carveth, Diretora de Comunicação do Departamento de Defesa do Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento pode ajudá-lo, visite o site www.ct.gov/dcp.

Leave a Comment