Share

Eu Sou Digno, Não Importa o Que Digam

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Traduzido por Eric Faria

 

Cada ser humano é inerentemente digno.

Aceite isso dentro de si: você é inerentemente digno. Antes que você faça, consiga ou adquira qualquer coisa, você é merecedor. Em outras palavras, você já nasce merecedor. Viver tendo esse pensamento é algo profundo e poderoso. Quantos de nós realmente acredita que é merecedor?

Em nossa cultura, infelizmente, acho que a maioria de nós acredita que não somos suficientes, porque o nosso valor precisa ser constantemente colocado em cheque. Há um contínuo esforço para fazer mais, conseguir mais e adquirir mais. Se seguirmos essa regra, de alguma forma isso nós tornará dignos. Neste paradigma, a vida é extremamente condicional. Há sempre mais a ser feito, conseguido, e adquirido. Viver dessa forma torna-se desgastante. A maioria de nós vive com algum nível de vergonha, porque nós nunca seremos bons o suficiente.

Perseguimos marcadores de identidade externa que acreditamos ser importantes para que sejamos dignos. Os marcadores podem ser “eu não alcancei X” ou “eu não possuo Y”. Estes marcadores são todos arbitrários e subjetivos. Às vezes, os marcadores são alcançados e, em seguida, há uma sensação de bem-estar. Porém, ela não dura. Se você só é tão bom quanto sua última tarefa, realização, ou aquisição, esse mesmo processo deve ser seguido repetidamente. Não há fim à vista. Torna-se impossível sentir-se bem de uma forma contínua. Isso pode levar a uma vida de ansiedade e depressão porque internamente você nunca se sente suficiente.

O Coaching tem sido fundamental na minha autoaceitação. No meu trabalho, eu dou ênfase à autoestima positiva como uma das ferramentas que permite aos meus clientes entrarem em contato com a sua própria essência. Isso permite que eles andem na direção de uma maior aceitação de quem eles realmente são.

Ao fazer o trabalho, meus clientes aceitam-se como são no momento atual, o que lhes permite tornarem-se quem eles queiram ser. Isso acontece porque somos seres humanos. Movimento e mudança fazem parte de quem somos. A crença humanista é que se nos aceitarmos como somos agora, naturalmente andamos na direção da saúde e da plenitude. Assim, paradoxalmente, por não lutarmos contra nós mesmos e aceitarmos quem somos agora, podemos nos desapegar compassivamente ou modificar aspectos indesejáveis ​​de nós mesmos e nos tornarmos mais autênticos.

Ao saber que somos dignos, podemos nos engajar autenticamente em nossas vidas, com todas suas alegrias e desafios. Nós aprendemos a agir do nosso âmago, e não de um sentimento de falta.

Gostaria de sugerir uma experiência: durante 24 horas, passe o dia acreditando que você é digno e suficiente exatamente como você é. Fique ciente de como essa ação pode te mover para uma sensação de bem-estar, um sentimento de rebelião, ou qualquer coisa entre esses dois parâmetros. E, não importa o que aconteça, trate-se com bondade.

 

Eric Faria é Coach de Inteligência Emocional. Ele faz treinamentos de autodesenvolvimento desde 2005, usando essas ferramentas em seu Coaching profissional. Formou-se pelo programa do International Coach Federation em janeiro de 2014. Eric vive em Connecticut e, além de trabalhar com clientes particulares, faz palestras motivacionais. Para mais informações, ou para contatá-lo, envie um e-mail para eric@ericfaria.com.

Leave a Comment