Share

História de Ana Sousa

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Por Maria Danniella Gutierrez-Salem

 

Para a maioria, os sonhos mudam de acordo com a personalidade, religião, profissão e até mesmo a nacionalidade da pessoa. No entanto, notei que aqueles que compartilham o privilégio de serem pais têm um sonho em comum, que é o de que seus filhos tenham uma vida melhor do que eles tiveram. Em nome de tal sonho, nossa entrevistada de Belo Horizonte-MG, chegou a Danbury há dezoito anos à procura de um futuro melhor para seus filhos.

No Brasil, ela trabalhou com vendas, mas depois de seu divórcio, um amigo a convidou para tentar a sorte em Danbury. Aqui, ela encontrou trabalho limpando casas, o que permitiu a ela prover moradia, alimentação e educação para seus filhos. Hoje, seus filhos são casados e independentes. Ela conseguiu começar sua vida novamente com José Sousa, de origem portuguesa, com quem tem compartilhado muitos momentos de felicidade. Acima de tudo, ela o descreve como um grande parceiro da vida, porque ele está sempre lá para apoiá-la, especialmente desde que sua vida mudou.

Em novembro de 2015, Ana sofreu um terrível acidente doméstico ao utilizar cloro para fazer limpeza. Como resultado deste acidente, ela teve que passar por duas operações de transplantes de córnea em seu olho esquerdo. Infelizmente, os dois transplantes não foram bem sucedidos, devido à rejeição da córnea. Ana perdeu completamente a visão de seu olho esquerdo. Atualmente, ela precisa de uma prótese que custa cerca de quatro mil dólares. Além disso, ela ainda tem a obrigação de pagar sua dívida com as despesas médicas de suas operações anteriores, cerca de vinte mil dólares. É difícil para ela pagar, considerando que ela não está trabalhando e, atualmente, depende unicamente da renda do marido. Ela explicou que o valor da dívida era ainda maior, mas que a comunidade portuguesa de Danbury a ajudou com algumas despesas. Com grande humildade, ela repetiu várias vezes como eles foram gentis mesmo sem conhecê-la, e que ela prefere ver tudo isso não como uma tragédia, mas como uma experiência de aprendizagem.

“Eu não consigo trabalhar faz seis meses, mas tenho muita sorte porque meus filhos estão comigo, meu marido me ajudou em tudo e as pessoas que eu não conhecia vieram me ajudar. Para mim, Danbury é a minha casa, porque sinto muito amor aqui. Estamos em um lugar onde nos sentimos mais felizes e tenho sido muito feliz em Danbury. No Brasil, deixei meus primos e amigos para trás, mas não meu coração ou alegria, pois eles estão comigo aqui em Danbury. Eu sei que vou conseguir, sou forte e com a ajuda de Deus, vou superar isso”, disse Ana.

É revigorante conhecer pessoas como Ana. Todos os dias, encontramos pessoas que não perderam nenhum de seus sentidos e estão completamente saudáveis, mas lhes falta força. O que torna essas pessoas diferentes? Eu acho que é o desejo de superar os obstáculos e a fé. Independentemente da religião que praticam, todos nós precisamos de fé. Ana me disse que ela adora ir à igreja, que ela está indo há dois anos e que o seu coração se alegra toda vez que ela entra em uma. Ela também está em constante comunicação com o Senhor; para ela, a melhor maneira de louvá-Lo é ser feliz e grata pelo milagre de estar viva.

Por fim, a mensagem de vida da Ana é nada além de ser grata. Todos os dias nos é dada uma nova oportunidade, um novo começo. Devemos lembrar também que a felicidade é um estado de espírito; nós é que colocamos limitações nela. Vamos começar a apreciar as coisas boas em nossas vidas e superar a adversidade, com o poder de saber que somos únicos.

 

Daniella Maria Gutierrez-Salem exerceu direito na Venezuela antes de seguir seu próprio sonho americano de se tornar uma escritora nos Estados Unidos.

Para aqueles que desejam recomendar uma história ou fazer comentários, convido-os a colaborarem nesta coluna, contribuindo com ideias e sugestões para mdgutier@gmail.com.

Leave a Comment