Share

Leis de Certificação de Connecticut Dificultam a Contratação de Professores em Bridgeport

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Por Maria Roman

Traduzido Por Frederico Alberti

A recrutadora especialista em apoio a Recursos Humanos Lissette Colon está preocupada com a rede pública de ensino de Bridgeport, que tem um déficit de 17,5 cargos de ensino, a maioria de ciências, matemática e educação bilíngüe e especial. O problema, diz ela, não são as estratégias de marketing e recrutamento; o problema são os requisitos de certificação de Connecticut, que não permitem que professores certificados de outros estados trabalhem enquanto não tiverem a certificação local. Como resultado, muitos estão optando trabalhar em estados como Flórida, Texas e Oklahoma, onde são autorizados a ensinar mesmo durante o processo de certificação.

Colon, em 2014, deu um exemplo de quando foi para Porto Rico recrutar professores com mestrado e doutorado, prontos para trabalhar; mas, por causa da certificação, só foram qualificados para atuar como professores substitutos. Ela deu outros exemplos de professores altamente qualificados em Connecticut, dizendo: “Isso é uma surpresa, a legislação tem que dar mais atenção para Bridgeport e ter mais interesse nos desafios e problemas em questão, eles precisam discutir esses assuntos em nível distrital”, mencionando também que as questões são diferentes e os professores de Bridgeport são que recebem os piores salários no Condado de Fairfield.

A diretora de Recursos Humanos, Kathleen Jaegar, de acordo com esse dilema de contratação, acrescentou que há progresso em outras áreas e que há um lado positivo em trabalhar com os alunos do sistema, “embora nós tenhamos um déficit de professores, os poucos que temos fazem acontecer.”

Leave a Comment