Share

Mãe Solteira, Veterano e Três Estudantes Ganham Prêmio Sonho Americano

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Por Mackenzie Rigg – The-News-Times

Uma mãe solteira, um veterano e três estudantes locais foram homenageados, em 16 de maio, por seu trabalho na busca por seus sonhos americanos.

O Tribuna, jornal de Danbury publicado em inglês, espanhol e português, organizou seu segundo Prêmio Sonho Americano anual no sábado, no Centro Cultural Português, e mais de 300 pessoas participaram do evento de premiação.

Mercia Ordine, 52 anos, de Fairfield, foi escolhida Personalidade do Ano.

Brasileira e mãe solteira, Ordine vive com seu filho de 12 anos, que sofre de autismo e déficit de atenção/hiperatividade.

Quando seu filho foi diagnosticado com autismo, aos 5 anos, Ordine começou a frequentar um grupo de apoio para pais de crianças com necessidades especiais.

Ela decidiu criar seu próprio grupo para ajudar as famílias brasileiras locais a lidarem com os complexos sistemas para pessoas com doenças mentais e deficiências de desenvolvimento, uma vez que muitos têm habilidades limitadas em inglês.

Quando seu nome foi anunciado sábado à noite, ela disse que não conseguia parar de chorar.

“Isso só faz você se sentir incrível, como se tivesse realizado muito”, disse Ordine, que foi premiada com US$ 2.000.

O anspeçada Carlos Mora Jr., de Danbury, foi escolhido como Veterano do Ano, que valeu um prêmio de US$ 3.000.

Mora imigrou para os Estados Unidos quando tinha dois anos. Ele se formou na Escola Técnica Henry Abbott e possui um diploma de associado da Norwalk Community College.

Depois que se tornou residente permanente, Mora decidiu juntar-se ao Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos. Ele foi enviado para o Japão e a Coreia do Sul, e agora está treinando na Carolina do Norte para uma nova missão no mar Mediterrâneo, em setembro.

Os três vencedores do prêmio Estudante do Ano foram Cindy Zhunio, Mohammed Alam e Jessica Manfredi, todos de Danbury. Cada um deles recebeu US$ 2.000.

O evento arrecadou 10.285 dólares para as despesas médicas de Carolina Bortolleto, que está no hospital desde dezembro.

Nascida no Brasil, Bortolleto mudou-se para Danbury, quando tinha 9 anos, com seus pais e sua irmã gêmea, Camila.

Bortolleto co-fundou a Connecticut Students for a Dream, uma organização estadual de jovens adultos que trabalham pelos direitos dos jovens ilegais e suas famílias, e ela também atuou no conselho da United We Dream, maior organização do município liderada por jovens imigrantes.

Por não possuir documentos, Carolina Bortolleto não tem plano de saúde e sua conta já ultrapassou US$ 100.000.

Durante esse tempo no Hospital Danbury, ela passou por várias cirurgias de grande porte para um raro bloqueio digestivo e esteve em coma induzido por 20 dias. Ela foi transferida para o Hospital Yale-New Haven há algumas semanas.

Sua família está muito grata pelo dinheiro arrecadado.

“Isso mostra quanto impacto ela teve na comunidade e que as pessoas estão muito dispostas a ajudar e doar”, disse Camila Bortolleto.

Em suas próprias observações, Celia Bacelar Palmares, fundadora e editora do Tribuna, disse: “Um dos meus valores, pelo qual eu tento viver, é entender que se eu não posso mudar o mundo inteiro, eu posso, no entanto, causar um impacto no mundo ao meu redor.”

“É por isso que eu criei este evento, na esperança de fazer exatamente isso.”

Leave a Comment