Share

Nem Tudo que Brilha é Ouro

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

 

Por Catherine Blinder

As festas de final de ano foram uma oportunidade maravilhosa para compartilhar presentes com amigos e familiares. Porém, agora que as festas já passaram, chegou o momento de pagar algumas dessas contas!

Uma forma de ter um pouco de renda extra é vender algumas de suas velhas joias de ouro. Embora aparentemente uma pequena quantidade possa valer um bom dinheiro – há algumas coisas que devem ser levadas em consideração e que garantirão que você consiga o maior valor pelo seus objetos.

Existem três fatores-chave para determinar quanto dinheiro você deve receber pela sua joia de ouro:

  • o quilate
  • o peso
  • a taxa que está sendo paga

Em primeiro lugar, você deve procurar um negociante respeitável, licenciado para determinar o quanto você pode esperar receber de suas joias. Como as leis para compra de ouro e outros metais preciosos são definidas pelo Estado, as licenças são emitidas pelo departamento de polícia local. Com o valor do ouro alto, muitas empresas entraram para o mercado, como joalherias, lojas de penhor e até mesmo “leilões” particulares. Antes de realizar qualquer transação, verifique se os membros de sua família e amigos passaram por alguma experiência, boa ou má, com alguma empresa. Depois de identificar um potencial comerciante, peça para ver sua licença, e verifique com a polícia se eles têm algum registro de más práticas de negócios.

Depois de selecionar um comerciante, ele examinará suas joias e determinará um preço. Primeiro, ele verifica o quilate. Basicamente, é quanto de ouro está contido no metal. A maioria das joias não é 100% ouro, também conhecido como 24 quilates, já que ele é um metal muito macio. Para fortalecê-las outros metais são misturados, reduzindo seu quilate. Uma pulseira 18k indica que tem, na verdade, 75% de ouro (18 de 24 quilates). Itens como anéis grandes podem ter até 10k, já que precisam ser resistentes.

Não se surpreenda se o comerciante não confiar na marca da sua joia, testando-a usando vários métodos para isso. Ele pode lhe dizer que é um quilate menor do que o indicado ou que está apenas revestido de ouro. Ouro, como muitos outros produtos, está sujeito a fraudes e pode ter sido marcado de forma errada quando foi originalmente vendido. Se você está desconfortável com a avaliação de seus itens, não hesite em obter uma segunda opinião.

Depois de determinar o quilate da sua joia de ouro, o comerciante irá pesá-la. O ouro é medido em onça-troy, que equivale a 31,1 gramas. Se você estiver vendendo vários itens, provavelmente eles serão pesados separadamente – todos os 18k, depois todos os 14k, etc., já que cada quilate vale uma taxa diferente com base na quantidade de ouro. Este é mais um passo em que pode haver alguma discrepância. O comerciante pode não realizar de forma intencional uma medição imprecisa, mas pode estar trabalhando com uma balança que não esteja devidamente calibrada. Sinta-se à vontade para pedir para ver a certificação dela, conforme selado pelo Departamento de Proteção ao Consumidor do Estado. Mais uma vez, não se sinta pressionado a aceitar um peso que não acredita ser verdade – você sempre pode levar suas joias a outro comerciante para comparação.

Finalmente, com quilate e peso acordado, o comerciante irá propor um pagamento, com base na taxa do dia. O preço por onça-troy será baseado no preço internacional diário, que é usado como referência para as vendas de ouro ao redor do mundo. O valor do ouro muda frequentemente e de forma significativa, baixando mais de 30 por cento de seus máximos históricos há três anos. Portanto, esperar pelo preço certo – se puder se dar a esse luxo – é melhor; é claro, o preço pode sempre baixar também, como tem sido tendência ao longo dos últimos anos. Como acontece com qualquer compra que você faz, esta é uma área em que pode e deve pesquisar pelo melhor preço.

Só mais um adendo: pela lei estadual, os comerciantes não estão autorizados a pagar em dinheiro – portanto, provavelmente pagará em cheque. Isso foi implementado para criar uma pista, que permite que a polícia rastreie o vendedor se descobrir que ele adquiriu bens roubados. Pagamento por cheque também fornece uma prova da venda. O fato de ser pago com cheque em vez de dinheiro, no entanto, é outra razão para se certificar de pesquisar bem antes de vender suas joias de ouro ou outras joias e sentir-se confortável com o negócio que esteja fazendo.

No fim das contas, nem tudo é dinheiro. Você pode descobrir que ao pesar a decisão de vender a joia e relevar o seu valor sentimental, acabará querendo mantê-la como uma lembrança. É impossível colocar um valor em nossas memórias.

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, diretora de educacão e divulgação do Departamento de Defesa do Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Defesa do Consumidor pode ajudá-lo, visite-nos online em www.ct.gov/dcp.

Leave a Comment