Share

O Extremismo em Todas as Suas Formas É a Razão Pela Qual Eles Matam

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

 

By Emanuela P. Leaf

Sob a sombra escura de ataques terroristas e assassinatos em massa, nos encontramos paralisados na frente das nossas televisões ou smartphones em busca de qualquer pequena informação que esclareça o motivo. Apenas este ano, buscamos respostas para:

18 de junho. Charleston, South Carolina – Nove pessoas foram mortas a tiros em uma igreja negra histórica em Charleston, SC. Entre as vítimas de 26 a 87 anos, estava Clementa C. Pinckney, um proeminente senador estadual. A polícia prendeu Dylann Storm Roof, 21, um homem branco com histórico de racismo.

16 de julho. Chattanooga, Tennessee – Quatro fuzileiros navais e um suboficial da marinha foram mortos depois que um homem abriu fogo em duas áreas militares. O FBI identificou o atirador, que também morreu, como Mohammod Youssuf Abdulazeez, 24.

1º de outubro. Roseburg, Oregon – Pelo menos dez pessoas foram mortas a tiros no Umpqua Community College, sul do Oregon, após o atirador Chris Harper Mercer, 26, abrir fogo. Ele morreu em uma troca de tiros com a polícia.

27 de novembro. Colorado Springs, Colorado – Três pessoas foram mortas, um policial e dois civis, e nove ficaram feridas após um atirador abrir fogo com uma metralhadora em uma clínica Planned Parenthood. Robert L. Dear Jr., 57, se rendeu mais de cinco horas após os primeiros tiros.

E, mais recentemente, em 2 de dezembro, em San Bernardino, Califórnia – A polícia montou uma caça intensa aos atiradores que dispararam dezenas de tiros dentro de uma sala de conferências onde os funcionários do condado estavam reunidos em um centro de serviços para pessoas com deficiência, deixando pelo menos 14 mortos e 17 feridos. Os supostos atiradores, Syed Farook, 28, e Tasfeen Malik, 27, foram mortos em um tiroteio com a polícia. Farook e sua esposa foram descritos por parentes como muçulmanos devotos e haviam retornado recentemente da Arábia Saudita.

Os nomes das vítimas e dos autores dos crimes mudam, mas eu diria que a “razão é a mesma”. Antes de irmos para o mérito do ciclo sistêmico de que as leis de controle de armas teriam impedido os eventos ou iniciar o contra-argumento de que “armas não matam pessoas; as pessoas que matam”, considere isto: a razão para um terrorista ou um assassino cometer tais atos terríveis não está no fato de as armas estarem à sua disposição, mas na ideologia política, racial ou religiosa que os levou acima do limite, ao extremo.

O extremismo em todas as suas formas é a razão para eles matarem, o extremismo em sua forma política é a razão para a nossa nação estar dividida, o extremismo religioso é a razão pela qual o mundo está em guerra.

“O que é condenável, e perigoso, sobre extremistas não é serem extremos, mas serem intolerantes. O mal não é o que eles dizem sobre a sua causa, mas o que eles dizem sobre os seus adversários.”- Robert F. Kennedy

Portanto, neste fim de ano, vamos refletir sobre como cada um de nós pode ser um ponto de luz na sombra escura de dor e tristeza espalhada por assassinos em massa e terroristas, tirando um momento para identificar nossos próprios extremos e perceber como eles podem impedir que todos nós alcancemos o nosso objetivo comum de um mundo menos violento.

Leave a Comment