Share

Prêmio Sonho Americano do Jornal Tribuna Entrega Mais de US$ 24.000 em Bolsas de ESTUDOS E Doações

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

Emanuela P. Leaf

Traduzido por Frederico Alberti

No sábado, 16 de maio, o Jornal Tribuna realizou o 2º Prêmio Anual Sonho Americano no Centro Cultural Português, em Danbury. A elegante noite, com o Centro decorado em vermelho, branco e azul em homenagem ao Memorial Day, contou com oradores respeitados e vencedores inspiradores que foram apreciados por cerca de 330 convidados, doadores e apoiadores. 

O processo de indicação para os prêmios Sonho Americano 2015 começou em março de 2015 e terminou em 16 de abril. Cento e quinze inscrições foram recebidas de candidatos que imigraram para o nosso Estado vindos de vários países: Brasil, Peru, México, Guatemala, Equador, Portugal, Haiti, Bangladesh e Índia.

Os dez finalistas dos prêmios foram homenageados, e em seguida as histórias de vida dos premiados foram reveladas. Os vencedores de Estudante do Ano receberam bolsas de estudo de US$ 2.000: Cindy Zhunio, uma moradora de Danbury originalmente do Equador, prêmio fornecido e entregue pelo Banco Union Savings; Jessica Manfredi, moradora de Danbury originalmente do Brasil, prêmio fornecido e entregue pela Rede de Saúde Western Connecticut; e Mohammed Alam, morador de Danbury vindo de Bangladesh, prêmio fornecido e entregue por Chick-fil-A no Shopping Center de Danbury. A vencedora de Personalidade do Ano recebeu um prêmio de US$ 2.000: Mercia Ordine, residente de Fairfield originalmente do Brasil, prêmio fornecido e entregue pela Fogo de Chão Churrascaria. O vencedor de Veterano do Ano recebeu um prêmio de US$ 3.000: Carlos Mora Jr., morador de Danbury original do México, prêmio fornecido e entregue pelo Jornal Tribuna.

O prêmio de Organização Sem Fins Lucrativos do Ano foi entregue à Biblioteca Pública de Danbury, que recebeu US$ 3.000, fornecidos e entregues por Amazon Concrete, Inc.

Os vencedores também receberam uma estatueta do Prêmio Sonho Americano, e terão seus nomes exibidos permanentemente em uma placa na Prefeitura de Danbury, em homenagem aos vencedores dos Prêmios Sonho Americano do Tribuna, que será apresentada neste outono em uma reunião do Câmara de Vereadores de Danbury.

Um total de US$ 14.000 foi dado em prêmios e bolsas de estudos por meio do generoso apoio dos patrocinadores do evento.

Durante a celebração, líderes comunitários também foram homenageados. O Prêmio Sonho Americano Lifetime Achievement foi entregue ao advogado Dr. Americo S. Ventura. O senador do Estado Michael McLachlan (R-24), Alessandro Piovezahn, fundador e criador do projeto LivelyUp, uma organização intergovernamental em apoio dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, e o Departamento de Defesa do Consumidor (DCP) de Connecticut foram homenageados com o Prêmio Sonho Americano Liderança.

O destaque da noite foi o momento em que a editora do Tribuna, Celia Bacelar, entregou um cheque de US$ 10.285, de fundos angariados através da venda de convites individuais, para pagar a conta médica de Carolina Bortoletto no Hospital Danbury.

Carolina é uma ativista local que co-fundou a Connecticut Students for a Dream (C4D), uma organização estadual de jovens adultos que trabalha pelos direitos dos jovens não documentados e suas famílias, e faz parte do conselho da United We Dream, maior organização de jovens imigrantes no País. Com complicações estomacais repentinas, ela teve que passar por nove grandes cirurgias de emergência e esteve em coma induzido por 20 dias. Ela está hospitalizada desde o início de dezembro de 2014; no mês passado, devido a complicações posteriores, ela foi transferida para o Hospital Yale New Haven.

A noite foi uma celebração da diversidade, patriotismo e do Sonho Americano.

Uma das maiores contribuições que os imigrantes dão às comunidades em que vivem é  perspectiva.

Muitos imigrantes vieram para o nosso país a partir de lugares onde a busca da felicidade não é um direito constitucional, onde a liberdade de expressão é um luxo, onde a liberdade para falar contra o seu governo, adorar o seu Deus e lutar pelas causas em que acredita podem custar a sua vida. São lugares onde um indivíduo pode trabalhar toda a sua vida e ainda ser incapaz de tirar uma família da pobreza, onde a escola primária mais próxima fica a 10 milhas a pé em uma estrada de terra e a possibilidade de educação superior está ainda mais distante.

Essa é a perspectiva que os finalistas e vencedores do Prêmio Sonho Americano 2015 nos deu como um presente – sermos gratos pelo que temos e continuar a lutar todos os dias para tornar nossa vida melhor.

Parabéns aos nossos vencedores e, mais uma vez, obrigada pela generosidade de todos os nossos patrocinadores e apoiadores. Que Deus abençoe a todos vocês!

Leave a Comment