Share

Uma Entrevista Exclusiva com o Lutador Top do UFC, Glover Teixeira

Este post também está disponível em: Inglês, Espanhol

 

Por Angela Barbosa

Ele é brasileiro de berço e coração, mas foi aqui nos Estados Unidos que Glover Teixeira, um dos maiores nomes do UFC, encontrou sua paixão pelas artes marciais, em 1999.

Natural de Sobrália, Minas Gerais, onde as academias eram inexistentes, o faixa preta brasileiro de jiu-jitsu, cujo record é de 13 nocautes e seis empates, escolheu a cidade de Danbury como lar para desenvolver seu amor pela luta.

“Se eu morasse em uma cidade grande, teria começado a lutar muito mais cedo. Mas meu treinamento começou na Hat City Boxing depois de um ano e meio que eu já estava aqui”, disse Glover.

Glover Teixeira
Glover Teixeira

Um lutador que viveu quase na pobreza em seu país de origem, Brasil, e chegou às portas de um campeonato mundial, e hoje é proprietário de seu próprio centro de treinamento de MMA em Danbury, a natureza despretensiosa de Glover, como sua esposa Ingrid Teixeira o descreveu “um cara simples e humilde”, permanece intacta apesar da sua fama.

“Nós não pensamos nisso como [sendo] algo estressante. Apenas vivemos nossas vidas e somos da mesma maneira”, disse Ingrid.

Dana Marie DeNapoli, uma das alunas de Glover, descreve seu treinamento com o lutador considerado o terceiro melhor do mundo como uma experiência de aprendizagem constante. “Se você ama algo, tem que sacrificar tudo por isso. Ao passar por toda esta experiência, Glover me ajudou muito. Mantemos nosso contato profissionalmente na academia e, quando estamos fora dela, ele é como um pai para mim. É legal ter um relacionamento com o terceiro melhor do mundo. É realmente muito sacrifício, sinto que ganhei e cheguei a perder algo, mas que os ganhos são muito mais gratificantes”.

Para alguém que passou de cuidar de jardins e trabalhar em uma academia de boxe para o topo da divisão dos meio-pesados do UFC, “gratificante” ressoa bem para descrever como a vida de Glover evoluiu, trabalhando a cada dia, dando um passo de cada vez em direção ao campeonato.

Ser consciente sobre sua força e que ele poderia facilmente ferir alguém é algo que Glover leva muito a sério e repassa para seus alunos.

“As artes marciais lhe dão confiança. A confiança é a única coisa que mantém você longe de problemas. Se vou a um bar e alguém começa a puxar briga comigo, eu provavelmente vou rir e ir embora. Quando você não se sente confiante, é que as brigas começam”.

O que mantém este lutador de 35 anos com o mesmo entusiasmo? “O amor. A paixão pelo esporte. E também o dinheiro”, disse ele sorrindo.

Mas de acordo com Glover, no momento da luta, você não pensa realmente no dinheiro, só depois. “Não há nada melhor do que ganhar uma luta no octógono com todas essas pessoas torcendo por você. Não há nada melhor que isso”.

E isso é um sentimento mútuo entre os estudantes de Glover. “Muitas crianças gostariam de ter essa oportunidade que estou tendo de treinar com Glover. Eu tenho que me lembrar constantemente que é ‘grande coisa’. É incrível, porque ele tem tanto e, ainda assim, ele tem muito para me ensinar sobre toda esta experiência com artes marciais”, explicou Dana.

Para se tornar membro da academia, Glover recomenda que todos “venham visitá-la. Às 19h15, temos uma aula de fitness todos os dias e temos Kickboxing toda terça e quinta-feira às 18h15.”

Como estamos no início de um novo ano, sua mensagem é: “Acredite, pare de reclamar e trabalhe. Levante-se de manhã e seja feliz, seja grato por tudo que você tem e conquiste seu sonho. O que quer que você queira na vida, não será fácil, não importa o que você faça. Se trabalhar por isso e acreditar, eu sei que se tornará realidade. Você conseguirá algo bom com isso. Basta acreditar e arregaçar as mangas de manhã e ir trabalhar. Essa é a minha mensagem”.

Para mais informações ou para se tornar um membro do Centro de Treinamento Glover Teixeira localizado na 16 Beaver Brook Road em Danbury, siga-os no Facebook, visite o website http://www.gloverteixeiramma.com ou ligue para (203) 456-3549.

Leave a Comment